Protocolo APEZ - Portugal Insect

 

No passado dia 27 de Junho de 2019, no decorrer do INSECTA'19, em Ponte de Lima, assinamos o protocolo de colaboração com a Portugal Insect formalizando as relações de proximidade e colaboração entre as duas entidades. Consulte o protocolo AQUI

 

 

 

 

 

Protocolo APEZ - ESA-IPVC

 

No passado dia 27 de Junho de 2019, no decorrer do INSECTA'19, em Ponte de Lima, assinamos o protocolo de colaboração com a ESA-IPVC formalizando as relações de proximidade e colaboração entre as duas entidades. Consulte o protocolo AQUI

   

 

 

 

Protocolo APEZ - FENAPECUÁRIA

 

No passado dia 13, no Pavilhão CONFAGRI, numa sala lotada, teve lugar o Seminário “Carnes.PT”, uma iniciativa que teve por objetivo o debate dos desafios que o mercado das carnes nacionais enfrenta, a promoção da qualidade da produção e o aproveitar dos bons meios para a sua distribuição e comercialização.

 

No concluir dos trabalhos, teve lugar a cerimónia de assinatura do Protocolo de Cooperação com a FENAPECUÁRIA – Federação Nacional das Cooperativas de Produtores Pecuários, FCRL. Consulte-o AQUI. 

 

 

.

Protocolo de Colaboração Institucional

 

Associação Portuguesa de Engenharia Zootécnica (APEZ)
Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC)

 

 

Consulte-o AQUI.  

 

 

 


 

Protocolo de Colaboração

 

Associação Brasileira de Zootecnistas (ABZ)

Associação Portuguesa de Engenheiros Zootécnicos (APEZ)

 

 

O Dobrão foi uma moeda portuguesa/brasileira que circulou durante o reinado de Dom João V (1707-1750), e é considerada a maior moeda de valor intrínseco que já circulou no mundo.

O Dobrão foi cunhado inicialmente pela casa da moeda de Vila Rica de Minas Gerais entre 1724 e 1727. Pesando 53,8 gramas de ouro, circulou principalmente em Portugal e Inglaterra. Essa moeda carregava no cunho de anverso o valor de 20.000 reis, embora o seu valor real pudesse chegar a 24.000 réis. Trazia na legenda as palavras latinas "In Hoc Signo Vinces" (Com este sinal vencerás).

   

Tal como o Dobrão de D. João V, já com quase 300 anos de existência, esperamos que o protocolo agora estabelecido entre a Associação Brasileira de Zootecnistas (ABZ) e a Associação Portuguesa de Engenheiros Zootécnicos (APEZ) perdure no tempo e seja um sinal de vitória para esta extraordinária profissão cujos objectivos são tão nobres, valiosos e necessários ao Mundo. O Dobrão continha já uma ideia de globalização e também evidencia a relação de forças entre os países que deve/tem de ser permanentemente questionada.

Também nós Zootecnistas e Engenheiros Zootécnicos pretendemos questionar a sociedade e afirmar o nosso espaço e a nossa função neste Mundo. A nossa relação com os animais mantém-se desde há milhares de anos e assim há-de continuar. Actualmente, e no futuro, a carência de alimentos de uma população humana em crescimento desregulado exige de nós um esforço adicional para produzir alimentos, objectivo que podemos e devemos ajudar a atingir, respeitando os animais e entregando um planeta viável ao futuro.

Assim, foi assinado a 7 de Abril de 2018, durante o XX ZOOTEC - 20º Congresso Nacional de Zootecnia um acordo de Cooperação Institucional que entre si celebram a Associação Brasileira de Zootecnistas - ABZ e a Associação Portuguesa de Engenharia Zootécnica - APEZ visando o desenvolvimento de projectos e acções de cooperação técnica e científica em conjunto. Consulte-o AQUI.